AFINAL, VOCÊ SABE O QUE #ÉGORDOFOBIA NA PRÁTICA? – Por Aline Xavier

Está viralizando no Facebook a hashtag #égordofobia, que tem como objetivo denunciar casos de gordofobia que lamentavelmente, são naturalizados na nossa sociedade.

Gordofobia, de forma geral, é o preconceito sofrido por qualquer pessoa que possua o IMC (índice de massa corporal) maior que 25. Porém, não são apenas ofensas verbais e agressões físicas que configuram tal discriminação, mas também o comportamento sutil que diminui ou contribui para a baixa da autoestima desse grupo rechaçado diariamente. Comentários não solicitados, risadinhas, olhares intimidadores, tudo isso é extremamente desconcertante e assustador.

Nas próximas linhas você encontrará mais exemplos do que configura a gordofobia. Esses relatos fazem parte do que já vivi e foram publicados também no meu perfil pessoal e fanpage. Caso você se identifique com algum deles, reflita. Não dissemine mais preconceito. Ele é um mal completamente desnecessário.

Aline2
“Não, docinho. Você é mais magra que eu, não mais bonita”

#égordofobia objetificar homens e mulheres que estão acima do peso visto como ideal pela sociedade.

#égordofobia  utilizar o termo gordice, em qualquer contexto. Fica a dica, principalmente, pros amiguinhos do Instagram.

#égordofobia afirmar que beleza e felicidade são grandezas inversamente proporcionais ao IMC de qualquer indivíduo.

#égordofobia presumir que toda mulher gorda é virgem ou arrombada, porque ninguém quer comê-la ou porque, desesperada, precisa dar pra todo mundo – não pode deixar passar a oportunidade, pois não sabemos quando terá outra “grande chance”.

#égordofobia afirmar que todo gordo é doente e PRECISA emagrecer.

#égordofobia afirmar que gente gorda tem que ser legal / simpática / mãezona de todos / compreensiva / tolerante pra compensar a “falta de atributos”.

#égordofobia usar pessoas gordas como ponto de referência. Nunca vi uma conversa do tipo: “Onde fica a Casa Lotérica”? “Atrás daquela magrinha ali”.*

#égordofobia julgar pessoas acima do peso com o olhar. “Não, você não está agindo com discrição”. “Sim, nós sempre percebemos”.

#égordofobia insistir com as pessoas gordas para que repitam o prato. Já parou pra pensar que muitas vezes elas simplesmente não querem?

#égordofobia propor relacionamento aberto ou às escondidas para uma mulher gorda, e sempre desfilar exibindo uma gata dentro do padrão como troféu para a sociedade.

#égordofobia achar que somos obrigadas a qualquer coisa por sermos gordas.

#égordofobia tratar a mulher gorda na cama com menos dedicação, carinho e atenção do que uma magra. Não, você não está fazendo favor algum em transar com ela.

#‎égordofobia‬ abusar física e psicologicamente de pessoas gordas, por acreditar que elas não têm poder de escolha afetiva.

#égordofobia ter vergonha de sair com a amiga gorda e sempre marcar programas às escondidas com as BFF’s esbeltas. Ela sabe que você já fez isso. E não foi só uma vez.

#égordofobia reparar no que as pessoas gordas comem. Em vez de falar da batata frita alheia, retire o bacon da sua feijoada.

#égordofobia manter “amizade” somente com mulheres gordas, para atrair toda a atenção dos homens e assim ficar se sentindo a mulher mais gostosa do universo, a última gota do vinho mais nobre.

#‎égordofobia‬ pensar que pessoas gordas nada mais são do que um depósito de calorias vazias.

#égordofobia fazer qualquer tipo de aposta com os seus amigos na balada, e aquele que perder ter que beijar a gorda no fim da festa: não somos castigo, não somos resto, não somos motivos pra vergonha, não somos moeda de troca para os seus reveses.

#‎égordofobia‬ acreditar que gordo é qualquer coisa, menos gente.

*Nota da Tia Blue: tinha uma propaganda infeliz no começo dos anos 2000 onde uma mulher gorda no escritório era tida como ponto de referência e, no final, o produto fazia sua propaganda dizendo que, se você não quisesse se tornar um ponto de referência, você deveria consumir aquele produto deles (acho que era um iogurte). Não procuramos o link para colocar aqui pois não somos obrigadas a dar visualizações para esse tipo de escrotidão mesmo que tenha sido há 15 anos atrás. ❤

Sobre a autora diva que escreveu esta lacração:

Aline
Ex-concurseira olímpica. Psicóloga para os amigos, não sabe o que fazer com a própria vida. Apaixonada por ovelhas negras, com as quais comumente se identifica. Está se descobrindo aos poucos nos cursos de escrita e na terapia semanal. Escreve em alinexavier.me 

 

 

 

 

Anúncios

Os comentários estão desativados.